Activity

Caminhos de Santiago. Caminho Português pela Costa

Download

Trail photos

Photo ofCaminhos de Santiago. Caminho Português pela Costa Photo ofCaminhos de Santiago. Caminho Português pela Costa Photo ofCaminhos de Santiago. Caminho Português pela Costa

Author

Trail stats

Distance
169.24 mi
Elevation gain
5,151 ft
Technical difficulty
Moderate
Elevation loss
4,537 ft
Max elevation
868 ft
TrailRank 
76 5
Min elevation
-6 ft
Trail type
One Way
Time
4 days 3 hours 42 minutes
Coordinates
500
Uploaded
July 1, 2022
Recorded
June 2022
  • Rating

  •   5 1 review

near Porto, Porto (Portugal)

Viewed 4422 times, downloaded 318 times

Trail photos

Photo ofCaminhos de Santiago. Caminho Português pela Costa Photo ofCaminhos de Santiago. Caminho Português pela Costa Photo ofCaminhos de Santiago. Caminho Português pela Costa

Itinerary description

Caminhos de Santiago. Caminho Português pela Costa

Descrevemos aqui o caminho de Santiago efetuado pela costa de bicicleta durante a ultima semana do mês de Junho de 2022.
Efetuamos o caminho em 5 etapas, permitindo desta forma fazer o caminho de uma forma relaxada e ficar com algum tempo para conhecer as localidades onde pernoitamos.
Em Portugal, tentamos manter-nos o mais possível perto da Costa utilizando as ecovias e ciclovia existentes.
Para uma descrição mais pormenorizada do caminho pode consultar as etapas individuais por nós publicadas no wikiloc.


Etapa 1: Porto - Esposende

Saída da Sé Catedral do Porto. Descida pela rua Mousinho da Silveira e passagem pela Ribeira do Porto. Seguimos pela Marginal do rio Douro em ciclovia até a Foz do mesmo. Continuamos por ciclovia pela beira-mar passando pelas praias do Porto e Matosinhos.
A ponte elevatória de Leixões estava em manutenção, pelo que tivemos que dar uma volta para passar pela ponte de Leça.
Continuamos à beira-mar até Angeiras e passamos a ponte de madeira sobre o Rio Onda que estabelece a fronteira entre os municípios de Matosinhos e de Vila do Conde.
De Labruje até Azurara fomos alternando entre ecovias, caminhos calcetados locais e caminhos em terra batida, algum deles inadequada para bicicletas de estrada. Em Azurara continuamos por estrada calcetada, adiante entramos na EN 13 e atravessamos a Ponte do Rio Ave. No primeiro cruzamento em Vila do Conde viramos a esquerda em direção ao mar. Aqui pedalamos pela ciclovia inserida no passeio marítimo ate Aver-o-mar, mais especificamente Praia do Quião, altura em que viramos para o interior.
Entre Aver-o-Mar e Ofir fomos alternando entre ciclovias e estradas calcetadas secundárias de acesso às propriedades agrícolas.
300 metros antes de chegar à rotunda central da praia de Ofir viramos à direita, em direção à EN 13.
Entramos na estrada principal e logo asseguir passamos a ponte de Fão sobre o rio Cávado. Mais adiante viramos à esquerda e entramos na cidade de Esposende, mais especificamente na marginal do Rio Cávado, final da 1ª etapa.


Etapa 2: Esposende a A Guarda

Parte do percurso desta etapa é efetuada pela Ecovia do Litoral Norte. Esta Ecovia está construída em piso de betão, em terra batida ou ainda em passadiços de madeira. Nalgumas zonas está construída ao lado da estrada, noutras sobre passeios marginais (marítimos e fluviais); pode usar caminhos antigos ou ser construída de novo. A sua construção está mais adiantada entre Viana do Castelo e Caminha (60 a 70% do caminho) do que entre Esposende e Viana (apenas 20 a 30%)
Também, de salientar que entre Esposende e Viana, cerca de 50% do caminho é efetuada por estrada nacional (EN 13 e EN 13-3); mas no troço entre Viana e Caminha nunca pisamos a EN.
Apreciamos sobretudo o troço entre Viana e Caminha, percurso de elevado valor paisagístico, cultural histórico e humano.
A 2ª etapa teve início na Avenida Marginal do Rio Cávado. Continuamos a pedalar para Norte pela Avenida dos Banhos e mais à frente entramos na Ecovia Litoral Norte, Ecovia esta, que termina ao chegar à praia de Rio de Moinhos. Aí viramos para o interior por estrada calcetada até à EN 13.
Mantivemo-nos na EN 13 até chegar à localidade de Santo Amaro, na qual viramos à esquerda pela rua da Pança, em estrada calcetada; adiante viramos a direita por caminho em terra batida.
Ao chegar à Rua Foz do Neiva viramos a direita e voltamos a entrar na Ecovia. Passamos uma bela ponte sobre o rio Neiva. Continuamos pela Ecovia e passamos junto à Foz do rio Neiva, local de belas paisagens e que merece bem o desvio da EN 13.
Mantivemos junto à costa, em ecovia até chegar à praia do Castelo do Neiva.
Em Castelo do Neiva continuamos por caminhos rurais em terra batida, parte deles em mau estado, estreitos, sofrendo o risco de se fechar pela vegetação dentro de alguns anos se não houver trânsito pelos mesmos. Antes de chegar à Amorosa, viramos à direita em direção à EN 13-3. Aconselhamos que em Castelo do Neiva se dirija de imediato em direção à EN 13-3, estrada que nos leva até à ponte sobre o rio Lima.
Depois da ponte viramos à esquerda e mantivemo-nos sempre junto do rio Lima no passeio marginal até à praia norte, onde entramos novamente na Ecovia do Litoral Norte. Aqui podemos apreciar belos cenários com o mar a nossa esquerda campos cultivados a nossa direita e mais à direita o monte de Santa Luzia. Em Montedor temos uma pequena subida, com o Farol à nossa direita.
A Ecovia termina na praia de Arda, onde temos que virar à direita por estrada calcetada secundária. O trilho em frente, em terra batida é próprio para caminhantes mas não para bicicletas.
Após Afife, o percurso é efetuado em passadiços, estradoes e caminhos, alguns deles estreitos e de mau piso inadequados para bicicletas de estrada.
Apos passar o Forte do Cão, e no final de um estacionamento automóvel podemos seguir pelo passadiço, mas o troço que aconselhamos e efetuado por nós continua por um caminho em terra batida à direita. É necessário avisar que uma parte do trilho é pouco pisado e corre o risco de ser fechado pela vegetação dentro de alguns anos.
De volta à ecovia, vamos continuar ao lado do rio Ancora e atravessa-lo numa ponte de granito. Passamos por Vila Praia de Âncora, praia de Moledo e continuamos através da mata do Camarido.
Chegamos ao Rio Minho, perto da Foz e utilizamos um dos barcos disponíveis para a travessia para Espanha (tel. 913254110, 967094630 e 931636360).
Chegados a Espanha, continuamos por passadiços e ciclovias até ao porto de pesca de A Guarda, que correspondeu ao final da2.ª Etapa.


Etapa 3: A Guarda a Vigo

Esta etapa teve início exatamente no Porto de A Guarda.
Entre A Guarda e Oiã, o percurso foi alternando entre caminhos rurais, ciclovia e a estrada asfaltada PO 552,
Em Oiã visitamos o povoado que possui um belo Mosteiro mesmo junto à praia.
Do km 21 (desde A Guarda) até Baiona o caminho é efetuado sempre em ecovia junto à estrada principal.
Baiona possui um Castelo imponente e fizemos um pequeno desvio para uma breve visita. Pouco após o Castelo entramos no Passeio Marítimo e em frente desenvolve-se a famosa Marina de Baiona; este encuadramento torna a cidade muito atrativa. O local torna-se difícil de igualar se adicionarmos as soberbas paisagens a 360º: a Sul, a costa que acabamos de admirar, a leste, a ria de Baiona, a Norte, a ria de Vigo e a oeste as ilhas Cies.
Continuamos em direção leste e nordeste, passamos pelo rio Minor e sua bela baia e posteriormente pela zona pantanosa. Pedalamos até NIgran e viramos novamente em direção à costa; passamos pelo porto de Panxon e por várias praias, entre as quais a praia de patos, no nosso entender, a mais bonita da zona.
Fomos alternando entre a estrada PO 552 e a costa até à famosa praia de Samil e continuamos para Norte e depois leste, seguindo junto às praia e à ria e mais tarde junto ao porto de Vigo. Quando atingimos a Praça da Industria Conserveira viramos para o interior pela rua da Coruña, passamos na Praça da Industria, Praça da América, onde entramos na Gran Via até à Praça de Espanha, local onde terminamos a 3ª etapa.


Etapa 4: Vigo a Caldas de Reis

Ao contrário das anteriores, que foram efectuadas ao longo da Costa e utilizaram na grande maioria ciclovias e estradas secundárias, esta etapa é feita pelo interior, utilizando quase sempre estradas principais e estradas urbanas. Também, nesta 4ª etapa, o declive positivo acumulado foi de 712 metros, enquanto que nas primeiras foi em média de 355 metros.
Saímos da Praça de Espanha em Vigo, descemos a Gran Via, viramos a direita, dirigimo-nos em direção à Ria. Depois de alguns cruzamentos, continuamos pela Rúa de Sanjurjo Badia, que adiante passa a ter o nome de avenida de Galicia. Continuamos pela Estrada PO 323 e posteriormente, pela N 552.
Passamos na periferia de Redondela e entramos na N 550 até Pontevedra.
Entramos no centro de Pontevedra pela Avenida de Vigo, Rua da Peregrina até à Praça da Peregrina, onde se situa o Santuário da Peregrina já em pleno centro pedonal. Depois de uma visita ao local, continuamos a nossa jornada.
Mantivemos pela N 550 até Caldas de Reis, pequena vila com várias Igrejas medievais para visitar, entre as quais, a Igreja de Santo Tomás
Terminamos a 4ª etapa, precisamente nesta pequena vila de Caldas de Reis.


Etapa 5: Caldas de Reis a Santiago de Compostela

A quinta etapa teve início em Caldas de Reis e terminou, naturalmente em Santiago de Compostela, na Praça de Obradoiro, concluindo desta forma o Caminho de Santiago pela variante Portuguesa pela Costa.
Começamos a pedalar em frente ao Café Universal e antes de entrar na N 550 fizemos Um pequeno desvio para visita da Igreja de Santo Tomás.
Um pouco antes de chegar a meio do caminho passamos por Pontecerusa que tem uma bela Ponte Romana sobre o rio Ulla e 2 ou 3 Km adiante, temos a paragem obrigatória em Padron, onde podemos visitar a Igreja de Santiago, a Fonte e o Convento do Carmo e outros locais religiosos e culturais.
Na Igreja de Santiago podemos observar o “el pedron” um enorme bloco de granito esculpido. O “el pedron” É um altar de origem romana dedicado a Netuno, deus das águas. O cristianismo reinterpretou-o como um símbolo jacobino. Reza a lenda que ali estava ancorado o barco que transportava os restos mortais do apóstolo Santiago, da Palestina até a costa galega. acompanhado por seus discípulos Teodoro e Atanásio. O “el pedron” tornou-se um importante símbolo jacobino e terá dado origem ao nome do Povoado de Padron.
Continuamos pela N 550 e saímos 2 ou 3 vezes para seguir o Caminho Original para Santiago.
Antes de entrar na Cidade de Santiago, a N 550 adquire perfil de auto-via, passando a designar-se como SC 20. Desta vez fomos obrigados a continuar pelo Caminho oficial, que possui troços não adequados a bicicletas de estrada. Mais adiante continuamos por estradas urbanas até chegar à Praça Obradoiro e à tão esperada e imponente Catedral de Santiago de Compostela, terminando assim a nossa jornada.

Boas pedaladas

Waypoints

PictographWaypoint Altitude 4 ft
Photo ofMARGINAL DE ESPOSENDE Photo ofMARGINAL DE ESPOSENDE Photo ofMARGINAL DE ESPOSENDE

MARGINAL DE ESPOSENDE

Ciclovia Na Marginal de Esposende, na Foz do Rio Cávado

PictographBeach Altitude 30 ft

PRAIA CURRUAGEM

PictographBridge Altitude 7 ft
Photo ofPONTE ECOVIA NEIVA Photo ofPONTE ECOVIA NEIVA Photo ofPONTE ECOVIA NEIVA

PONTE ECOVIA NEIVA

Ponte sobre o Rio Neiva - Ecovia Litoral do Norte

PictographRiver Altitude 3 ft
Photo ofFOZ DO NEIVA Photo ofFOZ DO NEIVA Photo ofFOZ DO NEIVA

FOZ DO NEIVA

Panorâmicas sobre a Foz do Rio Neiva

PictographBeach Altitude 13 ft
Photo ofCASTELO DO NEIVA Photo ofCASTELO DO NEIVA Photo ofCASTELO DO NEIVA

CASTELO DO NEIVA

Logo asseguir à Foz do Neiva, passamos pelo Castelo do Neiva, belas paisagens em zonas não massificadas

PictographWaypoint Altitude 12 ft

PRAIA RIO DE MOINHOS

PictographCastle Altitude 4 ft
Photo ofFORTE DA AREOSA (OU DA VINHA) Photo ofFORTE DA AREOSA (OU DA VINHA) Photo ofFORTE DA AREOSA (OU DA VINHA)

FORTE DA AREOSA (OU DA VINHA)

PictographWaypoint Altitude 114 ft
Photo ofFAROL MONTEDOR Photo ofFAROL MONTEDOR Photo ofFAROL MONTEDOR

FAROL MONTEDOR

3 ou 4 Km a norte de Viana surge o Farol de Montedor, numa pequena elevação. Surge uma breve subida num caminho empedrado que mostra alguma dificuldade

PictographCastle Altitude 24 ft
Photo ofFORTE DE PAÇO Photo ofFORTE DE PAÇO Photo ofFORTE DE PAÇO

FORTE DE PAÇO

Forte de Paçô, em estado parcial de ruinas

PictographWaypoint Altitude 33 ft
Photo ofPRAIA DE ARDA Photo ofPRAIA DE ARDA Photo ofPRAIA DE ARDA

PRAIA DE ARDA

PictographCastle Altitude 11 ft
Photo ofFORTE DO CAO Photo ofFORTE DO CAO Photo ofFORTE DO CAO

FORTE DO CAO

Zona de Belas praias, longe de multidões

PictographBridge Altitude 7 ft
Photo ofPONTE RIO ANCORA Photo ofPONTE RIO ANCORA Photo ofPONTE RIO ANCORA

PONTE RIO ANCORA

Ponte em granito pertencente à Ecovia Litoral do Norte

PictographBeach Altitude 15 ft
Photo ofVILA PRAIA DE ANCORA Photo ofVILA PRAIA DE ANCORA Photo ofVILA PRAIA DE ANCORA

VILA PRAIA DE ANCORA

Mais uma bela praia. Forte em bom estado de preservação

PictographBeach Altitude 12 ft
Photo ofPRAIA DE MOLEDO Photo ofPRAIA DE MOLEDO Photo ofPRAIA DE MOLEDO

PRAIA DE MOLEDO

PictographWaypoint Altitude 18 ft
Photo ofTRAVESSIA RIO MINHO BARCO Photo ofTRAVESSIA RIO MINHO BARCO Photo ofTRAVESSIA RIO MINHO BARCO

TRAVESSIA RIO MINHO BARCO

PictographBeach Altitude 23 ft

PRAIA CARREÇO

PictographBridge Altitude 7 ft
Photo ofPONTE Photo ofPONTE Photo ofPONTE

PONTE

Ponte sobre o Rio Lima

PictographWaypoint Altitude 40 ft

PRAIA OFIR

PictographWaypoint Altitude 5 ft
Photo ofFOZ RIO CAVADO Photo ofFOZ RIO CAVADO Photo ofFOZ RIO CAVADO

FOZ RIO CAVADO

PictographReligious site Altitude 242 ft
Photo ofSE CATEDRAL PORTO Photo ofSE CATEDRAL PORTO

SE CATEDRAL PORTO

Inicio do Caminho

PictographBeach Altitude 45 ft
Photo ofPRAIA MINDELO Photo ofPRAIA MINDELO Photo ofPRAIA MINDELO

PRAIA MINDELO

PictographBeach Altitude 41 ft
Photo ofCAXINAS Photo ofCAXINAS

CAXINAS

PictographMooring point Altitude 99 ft
Photo ofA GUARDA Photo ofA GUARDA Photo ofA GUARDA

A GUARDA

Bela Vila Pesqueira Galega do outro lado do Minho

PictographCastle Altitude 3 ft
Photo ofBAIONA CENTRO CASTELO Photo ofBAIONA CENTRO CASTELO Photo ofBAIONA CENTRO CASTELO

BAIONA CENTRO CASTELO

PictographWaypoint Altitude 80 ft

NIGRAN

PictographBeach Altitude 20 ft
Photo ofPRAIA DE DE PATOS

PRAIA DE DE PATOS

PictographWaypoint Altitude 140 ft

VIGO-PRAÇA DA AMERICA

PictographWaypoint Altitude 304 ft
Photo ofVIGO - PRAÇA DE ESPANHA Photo ofVIGO - PRAÇA DE ESPANHA

VIGO - PRAÇA DE ESPANHA

PictographWaypoint Altitude 125 ft
Photo ofRANDE Photo ofRANDE Photo ofRANDE

RANDE

PictographWaypoint Altitude 27 ft
Photo ofREDONDELA

REDONDELA

PictographWaypoint Altitude 223 ft

ARCADE PUEBLO

PictographWaypoint Altitude 102 ft
Photo ofPONTEVEDRA-CENTRO Photo ofPONTEVEDRA-CENTRO Photo ofPONTEVEDRA-CENTRO

PONTEVEDRA-CENTRO

PictographReligious site Altitude 136 ft
Photo ofCALDAS DE REIS Photo ofCALDAS DE REIS Photo ofCALDAS DE REIS

CALDAS DE REIS

PictographWaypoint Altitude 85 ft

PONTE ROMANA

Photo ofPADRON Photo ofPADRON Photo ofPADRON

PADRON

Photo ofIGREXA SANTIAGO EM PADRON Photo ofIGREXA SANTIAGO EM PADRON Photo ofIGREXA SANTIAGO EM PADRON

IGREXA SANTIAGO EM PADRON

Local onde se situa o "el pedron"

PictographWaypoint Altitude 845 ft
Photo ofSANTIAGO COMPOSTELA CATEDRAL Photo ofSANTIAGO COMPOSTELA CATEDRAL Photo ofSANTIAGO COMPOSTELA CATEDRAL

SANTIAGO COMPOSTELA CATEDRAL

PictographBeach Altitude 39 ft
Photo ofPOVOA DO VARZIM Photo ofPOVOA DO VARZIM

POVOA DO VARZIM

PictographBeach Altitude 2 ft
Photo ofA VER O MAR

A VER O MAR

PictographBeach Altitude 70 ft
Photo ofPRAIA DO ESTEIRO

PRAIA DO ESTEIRO

PictographWaypoint Altitude 28 ft
Photo ofHOTEL ST. ANDRE Photo ofHOTEL ST. ANDRE Photo ofHOTEL ST. ANDRE

HOTEL ST. ANDRE

PictographBeach Altitude 25 ft
Photo ofPRAIA AGUÇADOURA Photo ofPRAIA AGUÇADOURA Photo ofPRAIA AGUÇADOURA

PRAIA AGUÇADOURA

PictographCastle Altitude 4 ft
Photo ofFORTE S JOAO BATISTA - VILA CD Photo ofFORTE S JOAO BATISTA - VILA CD Photo ofFORTE S JOAO BATISTA - VILA CD

FORTE S JOAO BATISTA - VILA CD

Não passa exatamente na rota, mas pode ser visitado por um pequeno desvio em Vila do Conde

PictographWaypoint Altitude 13 ft
Photo ofVILA DO CONDE Photo ofVILA DO CONDE Photo ofVILA DO CONDE

VILA DO CONDE

PictographRiver Altitude 11 ft
Photo ofRIO ONDA Photo ofRIO ONDA Photo ofRIO ONDA

RIO ONDA

Marca a fronteira entre o município de Matosinhos e Vila do Conde

PictographBeach Altitude 24 ft
Photo ofANGEIRAS

ANGEIRAS

PictographWaypoint Altitude 59 ft
Photo ofPEDRAS DO CORGO

PEDRAS DO CORGO

PictographBeach Altitude 16 ft
Photo ofPRAIA DA MEMORIA

PRAIA DA MEMORIA

Foi nesta praia que, durante as Guerras Liberais, D. Pedro IV desembarcou em 1832, com um exército de 7500 homens, para combater as tropas do seu irmão D. Miguel. Em homenagem à sua vitória foi erguido o Obelisco da Memória

Comments  (21)

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Aug 10, 2022

    Olá Alberto Garcia
    Obrigado pelo comentário
    Vou tentar responder alguma das suas questões
    Para nós a maior dificuldade foi o transporte de volta de bicicleta.
    quando chegamos a Santiago tínhamos duas opções:
    1 - enviar a bicicleta de comboio e obrigavam-nos a desmontar a roda de frente e de trás e o guiador, o que se tornava entre nós uma tarefa difícil. Teríamos que embrulhar a biciclette em papelão ou embalagem própria e por último a bicicleta não seguiria no mesmo comboio que nós.
    2 - optar por transporte em autocarro. Neste caso, só obrigaram a desmontar a roda da frente mas teríamos também que embrulhar a bicicleta em cartão e cartolina. Nós optamos pela esta última solução e viemos nos autocarros da Alsa (Alsa.es)

    Nós utilizamos bicicleta BTT e é o preferível pois em Portugal, e para nos mantermos perto da Costa, tivemos que atravessar trilhos em terra batida por vezes bastante estreitos, irregulares e outros com areia pelo caminho. A subida para o farol de Montedor, (a 3 ou 4 km a norte de Viana do castelo) foi efetuada por um caminho empedrado irregular, com bastante inclinação, pelo que é preferível uma bicicleta BTT. Também, há caminhos em Espanha que tem que ser efetuados em BTT.

    Apesar do trilho poder ser feito em 4 dias sem grandes dificuldades, nós preferimos 5 dias, porque:
    1 - assim pudemos fazer mais turismo
    2 - se tivéssemos alguma avaria ou um dia com más condições meteorológicas, teríamos mais capacidades em manter os hotéis pre-reservados
    3 - A última etapa foi curta, com apenas 40 km o que nos permitiu chegar a Santiago a meio da manhã e assim tivemos mais tempo para visitar a cidade, tratar da viagem de regresso e preparar as bicicletas para a viagem de regresso.

    Optamos por ficar alojados em hotéis por duas razões:
    1 - A reserva é mais fácil pelo booking ou por telefone
    2 - Mais facilmente o hotel poderá guardar a bicicleta durante a noite.

    Antes de reservar, telefonamos para os hotéis a confirmar que poderiam guardar a bicicleta durante a noite.

    Em Esposende ficamos no Hotel Mira Rio; em A Guarda ficamos no hotel Vila da Guarda e em Caldas de Reis ficamos no hotel Lotus

    Boas pedaladas e esperamos que desfrutem

    S Trilhos

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Aug 10, 2022

    Olá Alberto Garcia
    Obrigado pelo comentário
    Vou tentar responder alguma das suas questões
    Para nós a maior dificuldade foi o transporte de volta de bicicleta.
    quando chegamos a Santiago tínhamos duas opções:
    1 - enviar a bicicleta de comboio e obrigavam-nos a desmontar a roda de frente e de trás e o guiador, o que se tornava entre nós uma tarefa difícil. Teríamos que embrulhar a biciclette em papelão ou embalagem própria e por último a bicicleta não seguiria no mesmo comboio que nós.
    2 - optar por transporte em autocarro. Neste caso, só obrigaram a desmontar a roda da frente mas teríamos também que embrulhar a bicicleta em cartão e cartolina. Nós optamos pela esta última solução e viemos nos autocarros da Alsa (Alsa.es)

    Nós utilizamos bicicleta BTT e é o preferível pois em Portugal, e para nos mantermos perto da Costa, tivemos que atravessar trilhos em terra batida por vezes bastante estreitos, irregulares e outros com areia pelo caminho. A subida para o farol de Montedor, (a 3 ou 4 km a norte de Viana do castelo) foi efetuada por um caminho empedrado irregular, com bastante inclinação, pelo que é preferível uma bicicleta BTT. Também, há caminhos em Espanha que tem que ser efetuados em BTT.

    Apesar do trilho poder ser feito em 4 dias sem grandes dificuldades, nós preferimos 5 dias, porque:
    1 - assim pudemos fazer mais turismo
    2 - se tivéssemos alguma avaria ou um dia com más condições meteorológicas, teríamos mais capacidades em manter os hotéis pre-reservados
    3 - A última etapa foi curta, com apenas 40 km o que nos permitiu chegar a Santiago a meio da manhã e assim tivemos mais tempo para visitar a cidade, tratar da viagem de regresso e preparar as bicicletas para a viagem de regresso.

    Optamos por ficar alojados em hotéis por duas razões:
    1 - A reserva é mais fácil pelo booking ou por telefone
    2 - Mais facilmente o hotel poderá guardar a bicicleta durante a noite.

    Antes de reservar, telefonamos para os hotéis a confirmar que poderiam guardar a bicicleta durante a noite.

    Em Esposende ficamos no Hotel Mira Rio; em A Guarda ficamos no hotel Vila da Guarda e em Caldas de Reis ficamos no hotel Lotus

    Boas pedaladas e esperamos que desfrutem

    S Trilhos

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Aug 10, 2022

    Olá Alberto Garcia
    Obrigado pelo comentário
    Vou tentar responder alguma das suas questões
    Para nós a maior dificuldade foi o transporte de volta de bicicleta.
    quando chegamos a Santiago tínhamos duas opções:
    1 - enviar a bicicleta de comboio e obrigavam-nos a desmontar a roda de frente e de trás e o guiador, o que se tornava entre nós uma tarefa difícil. Teríamos que embrulhar a biciclette em papelão ou embalagem própria e por último a bicicleta não seguiria no mesmo comboio que nós.
    2 - optar por transporte em autocarro. Neste caso, só obrigaram a desmontar a roda da frente mas teríamos também que embrulhar a bicicleta em cartão e cartolina. Nós optamos pela esta última solução e viemos nos autocarros da Alsa (Alsa.es)

    Nós utilizamos bicicleta BTT e é o preferível pois em Portugal, e para nos mantermos perto da Costa, tivemos que atravessar trilhos em terra batida por vezes bastante estreitos, irregulares e outros com areia pelo caminho. A subida para o farol de Montedor, (a 3 ou 4 km a norte de Viana do castelo) foi efetuada por um caminho empedrado irregular, com bastante inclinação, pelo que é preferível uma bicicleta BTT. Também, há caminhos em Espanha que tem que ser efetuados em BTT.

    Apesar do trilho poder ser feito em 4 dias sem grandes dificuldades, nós preferimos 5 dias, porque:
    1 - assim pudemos fazer mais turismo
    2 - se tivéssemos alguma avaria ou um dia com más condições meteorológicas, teríamos mais capacidades em manter os hotéis pre-reservados
    3 - A última etapa foi curta, com apenas 40 km o que nos permitiu chegar a Santiago a meio da manhã e assim tivemos mais tempo para visitar a cidade, tratar da viagem de regresso e preparar as bicicletas para a viagem de regresso.

    Optamos por ficar alojados em hotéis por duas razões:
    1 - A reserva é mais fácil pelo booking ou por telefone
    2 - Mais facilmente o hotel poderá guardar a bicicleta durante a noite.

    Antes de reservar, telefonamos para os hotéis a confirmar que poderiam guardar a bicicleta durante a noite.

    Em Esposende ficamos no Hotel Mira Rio; em A Guarda ficamos no hotel Vila da Guarda e em Caldas de Reis ficamos no hotel Lotus

    Boas pedaladas e esperamos que desfrutem

    S Trilhos

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Aug 10, 2022

    Olá Alberto Garcia
    Obrigado pelo comentário
    Vou tentar responder alguma das suas questões
    Para nós a maior dificuldade foi o transporte de volta de bicicleta.
    quando chegamos a Santiago tínhamos duas opções:
    1 - enviar a bicicleta de comboio e obrigavam-nos a desmontar a roda de frente e de trás e o guiador, o que se tornava entre nós uma tarefa difícil. Teríamos que embrulhar a biciclette em papelão ou embalagem própria e por último a bicicleta não seguiria no mesmo comboio que nós.
    2 - optar por transporte em autocarro. Neste caso, só obrigaram a desmontar a roda da frente mas teríamos também que embrulhar a bicicleta em cartão e cartolina. Nós optamos pela esta última solução e viemos nos autocarros da Alsa (Alsa.es)

    Nós utilizamos bicicleta BTT e é o preferível pois em Portugal, e para nos mantermos perto da Costa, tivemos que atravessar trilhos em terra batida por vezes bastante estreitos, irregulares e outros com areia pelo caminho. A subida para o farol de Montedor, (a 3 ou 4 km a norte de Viana do castelo) foi efetuada por um caminho empedrado irregular, com bastante inclinação, pelo que é preferível uma bicicleta BTT. Também, há caminhos em Espanha que tem que ser efetuados em BTT.

    Apesar do trilho poder ser feito em 4 dias sem grandes dificuldades, nós preferimos 5 dias, porque:
    1 - assim pudemos fazer mais turismo
    2 - se tivéssemos alguma avaria ou um dia com más condições meteorológicas, teríamos mais capacidades em manter os hotéis pre-reservados
    3 - A última etapa foi curta, com apenas 40 km o que nos permitiu chegar a Santiago a meio da manhã e assim tivemos mais tempo para visitar a cidade, tratar da viagem de regresso e preparar as bicicletas para a viagem de regresso.

    Optamos por ficar alojados em hotéis por duas razões:
    1 - A reserva é mais fácil pelo booking ou por telefone
    2 - Mais facilmente o hotel poderá guardar a bicicleta durante a noite.

    Antes de reservar, telefonamos para os hotéis a confirmar que poderiam guardar a bicicleta durante a noite.

    Em Esposende ficamos no Hotel Mira Rio; em A Guarda ficamos no hotel Vila da Guarda e em Caldas de Reis ficamos no hotel Lotus

    Boas pedaladas e esperamos que desfrutem

    S Trilhos

  • Photo of manuela gil
    manuela gil Nov 3, 2022

    O Caminho de Santiago tem tanto de bonito como místico. É uma aventura e atividade de turismo juntas.

  • Photo of manuela gil
    manuela gil Nov 3, 2022

    I have followed this trail  View more

    O Caminho de Santiago tem tanto de bonito como místico. É uma aventura e atividade de turismo juntas.

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Nov 5, 2022

    Verdade
    O Caminho de Santiago tem um sabor especial, para além da vertente espiritual, o caminho é excelente em muitos aspectos .

  • Photo of ricardo raimundo
    ricardo raimundo Jul 27, 2023

    boas amigo ciclista
    como foi o transporte de volta de finisterra até Santiago?

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Jul 28, 2023

    Amigo Raimundo.
    Fizemos o trilho só até Santiago.
    Não fomos à Finisterra.
    Em Santiago, transportamos a bicicleta em autocarro (empresa Elsa). Compramos la os bilhetes. Tivemos que tirar a roda da frente e embrulha-la em papelão e película de cozinha.
    De comboio seria pior pois poderia não viajar connosco, teríamos que tirar os pedais

  • Photo of Antonio Ferreira 21
    Antonio Ferreira 21 Apr 16, 2024

    Boa tarde, quantos dias?

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Apr 17, 2024

    Boa tarde António
    Fizemos em 5 dias.
    Pernoita em Esposende, La Guardiã, Vigo e Caldas de Reis. Tem uma descrição Pormenorizada de cada etapa no qikiloc entre 23 junho e 27 junho 2022

  • Photo of Antonio Ferreira 21
    Antonio Ferreira 21 Apr 17, 2024

    Obrigado, já agora mais uma questão: para transportar a bicicleta de Santiago para Portugal ( Braga neste caso) a operadora de transporte ( alsa) exige a bicicleta embalada? Obrigado.

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Apr 17, 2024

    Tivemos que tirar a roda da frente; não me lembro se tivemos que irar os pedais. Colocamos uns papelões para proteger a roda da frente, pois veio encostada à bicicleta e em brilhamos tudo com película de cozinha.
    De comboio seria mais complicado.
    Boas pedaladas

  • Photo of Leonel Almeida 1
    Leonel Almeida 1 Apr 30, 2024

    Bom dia, eu vou em Julho fazer este percurso e vai comigo a minha nora que tem uma bike de gravel. É pacífico para ela este percurso, ou só de btt mesmo, obrigado

  • Photo of Leonel Almeida 1
    Leonel Almeida 1 Apr 30, 2024

    Bom dia, só agora li os comentários, 😁. Penso que o melhor será seguir a nacional 13, não será a mesma coisa, mas o mais viável, qual a sua opinião, obrigado

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Apr 30, 2024

    Bom dia Leonel. Tendo em conta que uma das bicicletas é de gravel, Até Mindelo pode seguir o nosso trilho, embora tenha uma zona Com muito paralelepípedo.
    Pode seguir de Vila do Conde até A Ver-o-Mar. Daqui, o melhor é ir a EN13.
    Se quiserem podem voltar para perto da costa para a Apúlia e daí seguirem o trilho até Esposende.
    Em Esposende podem continuar pela ciclovia durante três quilômetros e depois aconselhamos a ir para a EN13.
    Podem ir à costa ver a foz do rio Neiva que é muito bonito continue pela ecovia até o castelo do Neiva e voltam para a nacional 13.
    Em Viana do Castelo vão à praia norte e segue pela Ecovia até Montedor (zona do farol). Aqui tem uma subida forte em caminho lajeado difícil para a bicicleta gravel, mas pode levá-la a pé e continuar pela Ecovia. Até à praia da Arda. Aqui o melhor é voltar a EN 13 Até Vila Praia de Âncora onde podem continuar pelo trilho até caminha.

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Apr 30, 2024

    Temos as 5 etapas mais pormenorizadas de 23/6 a 27/6 e poderá consultá-las
    Boas pedaladas

  • Photo of Leonel Almeida 1
    Leonel Almeida 1 Apr 30, 2024

    Obrigado pela atenção, grande abraço

  • Photo of Antonio Ferreira 21
    Antonio Ferreira 21 Apr 30, 2024

    Boa noite, seguiram sempre as setas do Caminho ou fizeram por alguns atalhos?

  • Photo of STrilhos
    STrilhos Apr 30, 2024

    Não seguimos sempre as setas do caminho.
    Em Portugal fomos pela costa como vão os peregrinos a pé. Em Espanha perdemos o Caminho amtes de chegar a Vigo

  • Photo of Antonio Ferreira 21
    Antonio Ferreira 21 Apr 30, 2024

    Obrigado pela atenção

You can or this trail